Boas Vindas!

Seja bem vindo ao blog do Departamento de Práticas Integrativas e Complementares à Saúde Bucal da SOBRACID

Este espaço é destinado à divulgação dos eventos e cursos de aperfeiçoamento e formação em homeopatia, assim como das demais práticas integrativas.

Mantenha-se informado fazendo parte dos seguidores deste blog e participe de nossas enquetes para que nossos cursos venham corresponder as suas expectativas e necessidades.



Para conhecer um pouco mais sobre o Departamento de Práticas Integrativas e Complementares da SOBRACID, assista o vídeo de apresentação deste departamento clicando em: www.youtube.com/watch?v=tdVUr8xbk3Y

27 de mar de 2017

Por que grandes atletas do mundo todo usam homeopatia?


 em 
Com a recém finalizada Olimpíada no Brasil e o mundo com foco nos esportes no momento, lembramos que a homeopatia é usada também por bem-sucedidos atletas, homens e mulheres em todo o mundo. Embora existam mais de 3 mil remédios na farmacopeia homeopática, um atleta que sabia cerca de meia dúzia de “remédios dos esportes”, estará à frente do jogo.
Os remédios homeopáticos são simples de tomar, eles viajam bem (em pequenos tubos de plástico), e podem ser facilmente armazenados em uma mochila de esportes. E longe de ser um remédio amargo se for em gotas, se forem sob a forma de glóbulos, tem gosto de açúcar e dissolvem-se rapidamente sob a língua para a absorção rápida.
Alguns usos da homeopatia pelos atletas:
Lesões esportivas
A maioria das lesões desportivas são do tipo traumática, como contusão, tensão muscular, entorse do ligamento, fraturas, etc. Outros incluem dor muscular, cãibras musculares, rigidez, cortes e escoriações. O efeito destas lesões é duplo. Uma das células que compõem tecidos moles fica danificado e o segundo é a fadiga e fraqueza. Às vezes, o medo também pode levar a lesões. A resposta do organismo a lesões traumáticas é a inflamação. A inflamação é caracterizada por dor, inchaço, calor, vermelhidão e perda de função. O processo de inflamação é uma resposta à lesão que é necessário, por meio de uma série de processos complexos, permite a renovação e cicatrização de tecido danificado.
Vários ensaios da homeopatia consideram os efeitos sobre lesões esportivas, como entorses de tornozelo, distensões musculares e dor muscular após o exercício, enquanto outros se detém sobre os tipos de problemas de saúde a que muitos atletas são propensos, incluindo infecções do trato respiratório superior, gripe, alergias e cãibras.
Dez razões para os atletas escolherem os medicamentos homeopáticos:
  1. Não existem efeitos secundários nocivos.
  2. Eles são seguros para uso em todos os casos, e igualmente eficaz em bebês, idosos e mulheres grávidas.
  3. Devido ao grau de diluição, eles não aparecem em quaisquer procedimentos de testes de drogas, por isso não há necessidade de verificar se algum dos ingredientes estão em uma lista proibida.
  4. Eles custam menos do que medicamentos alopáticos.
  5. Ao contrário de medicamentos convencionais, eles podem ser mantidos para uso posterior, muitas vezes com apenas alguns comprimidos de um frasco sendo necessária para cada episódio de tratamento.
  6. Eles não são testados em animais – todos os medicamentos homeopáticos são testados através de ensaios sistemáticos com voluntários humanos saudáveis.
  7. Eles trabalham com e não contra os próprios mecanismos de reparo do corpo.
  8. Eles têm sido utilizados de forma eficaz, em todas as partes do mundo, por mais de 200 anos.
  9. Eles aceleraram o processo de cicatrização e levar de volta aos treinos mais rapidamente.
  10. Uma quantidade crescente de pesquisas científicas de alta qualidade demonstram que os medicamentos homeopáticos realmente funcionam.
ALGUNS ATLETAS E TIMES FAMOSOS QUE USAM HOMEOPATIA:
Estrelas do futebol alemão usam homeopatia.
Em 2008, um artigo da revista surpreendeu os críticos da abordagem de tratamento homeopático. 24 dos 26 médicos (92,3%) que trabalham na primeira e segunda divisão da Bundesliga (liga alemã de futebol) prescrevem remédios homeopáticos, em 76% dos clubes de futebol.
“As histórias de sucesso são impressionantes”, disse Peter Billigmann, um médico esportivo e chefe do Instituto de Koblenz para o desempenho Diagnóstico e Medicina do Esporte que realizou o estudo, em uma entrevista com a revista Spiegel. “Substâncias homeopáticos não têm quaisquer efeitos secundários, o que nos deixa seguros, contra o risco de doping.”
A agência antidoping mundial (WADA) considera os remédios homeopáticos sem restrições, a não ser que tenham sido produzidos a partir de substâncias listadas como proibidas.
Professor Billigmam reconheceu que a Homeopatia é eficaz na redução do estresse físico causado pelo esforço no exercício e chamado Traumeel, o diclofenaco da homeopatia, e recomenda seu uso tópico.
Ele reconheceu que há uma recuperação mais rápida da lesão e obteve resultados impressionantes com a combinação de Echinacea compositum Cosmoplex®, Engystol®, Lymphomyosot®and Gripp-Heel® (medicamentos homeopáticos complexos utilizados na Alemanha) por um mês, três vezes ao ano (janeiro, abril e outubro) para atletas.
jean-marcel-ferret-doctor-to-the-french-soccer-team
Jean-Marcel Ferret, médico do time de futebol francês.
Dr. Jean Marcel Ferret
Dr. Jean Marcel Ferret, médico para a equipe de futebol francesa de 1993-2004, período que incluiu a vitória da Copa do Mundo, tornou-se um defensor da homeopatia. Aqui está o porquê:
“Estou aberto a todas as técnicas. Como um médico desportivo, descobri rapidamente que, com exceção de anti-inflamatórios e relaxantes musculares, eu era muito limitado no tratamento de atletas. Comecei a usar a homeopatia, a primeira vez em quando, e depois mais e mais. A princípio, os atletas foram surpreendidos e até mesmo cautelosos. Então eu expliquei como e porque age a homeopatia. O maior valor dela no esporte? Sua velocidade de ação. Posso usá-lo diretamente no campo de futebol, dentro de segundos do trauma, e observo os resultados quase imediatamente”.
“Os jogadores são altamente treinados, uma população em risco, com sistemas imunológicos ligeiramente defeituosos. Temos de proteger a sua saúde (…) isso envolve uma ênfase na prevenção, tendo em conta a personalidade de cada jogador. Agora eu sei que esta abordagem completa é da homeopatia.”
A experiência do Dr. Ferret espelha a de muitos médicos e treinadores que agregaram a homeopatia em seu repertório de técnicas para assistir aos atletas em todos os níveis. Eles reconhecem que a homeopatia oferece tratamentos que:
– Trabalham muito rápido em situações agudas e traumáticas;
– Ajudam o sistema imunológico a fortalecer e a prevenir e tratar infecções;
– São adaptados a cada indivíduo em sua individualidade física e psicológica.
david-beckham
David Beckham, jogador de futebol e campeão da Copa do Mundo
David Beckham
David Beckham, o famoso jogador de futebol e campeão da Copa do Mundo, tem sempre declarado publicamente sua paixão pelo atendimento homeopático. Pouco antes da Copa do Mundo de 2002, David Beckham quebrou o pé durante o treino, e foi quando ele começou a ver os efeitos dos tratamentos homeopáticos e naturais. Ele e sua esposa, Victoria Beckham, disseram à imprensa o pé foi curado rapidamente e ele voltou ao futebol com a ajuda com a medicina natural homeopática.
marko-pantelic
Marko Pantelic, jogador de futebol sérvio.
Marko Pantelic
“Eu apoio o que eles fazem, e eu sei que os medicamentos homeopáticos são utilizados por muitas celebridades e suas famílias inteiras. Seguir a homeopatia me ajudou muito e aumentou a minha confiança melhorando assim o meu desempenho”.
usain
Usain Bolt – velocista jamaicano
Usain Bolt
Considerado o velocista mais rápido do mundo. O velocista olímpico Usain Bolt consulta o homeopata desde que ele tinha 16 anos de idade, e é firme sobre a estreita relação que eles tiveram ao longo de sua carreira recorde. Como velocista olímpico e famoso vencedor de inúmeros medalhas de ouro, tem utilizado a homeopatia desde a idade de 16 anos. Ele é paciente do médico de desportos alemão Hans-Wilhelm Muller-Wohifahrt, que usa homeopatia em sua clínica de Munique.
“Tenho vindo aqui desde que eu tinha 16 anos,” o recorde mundial de 100m disse recentemente numa conferência de imprensa em Munique. “Tem sido um longo relacionamento. Toda vez que tenho um problema, ele sempre dá bons conselhos e tratamentos. Ele é o melhor no que faz. Nós somos muito chegados”.
Bolt nasceu com escoliose, uma curvatura da parte inferior da coluna, o que o torna mais suscetível a dores e lesões nas costas.
louisehazelolympicsday7athleticsyvqcfxgm-5ll
Atleta Louise Hazel.
Louise Victoria Hazel
É uma atleta inglesa de atletismo.
“Como um atleta profissional eu acredito que é extremamente importante considerar cuidadosamente o que você está colocando em seu corpo. É por isso que tenho uma abordagem natural para a minha saúde e bem-estar. Como uma atleta olímpica, tenho usado a homeopatia inúmeras vezes para ajudar com os vários traumas e contusões que sofro, ao bater obstáculos. Meu remédio homeopático favorito é arnica, e eu não sonharia de usar qualquer outra coisa.
A homeopatia oferece uma gama de remédios naturais.
A cobra (Lachesis) que é mostrada nesta imagem representa o remédio que é frequentemente utilizado para ajudar a tratar vários sintomas da menopausa, como ondas de calor”.
 
james-ellington-team-gb-sprinter
James Ellington, velocista britânico
James Ellington
“Minha saúde é minha prioridade, desde comer uma dieta equilibrada até o tipo de medicina que eu uso. Treinando seis vezes por semana é algo extremamente exigente e é mais importante do que nunca, para manter meu corpo na melhor condição possível. A Homeopatia me oferece uma forma positiva e natural de prevenir doenças como o esforço, dor muscular e dor nas articulações, sem quaisquer efeitos residuais no meu desempenho.”
“Eu uso remédios tais como Ruta, o que ajuda a tratar ligamentos lesados, Gelsemium para nervosismo pré-corrida, Arnica para hematomas e Bellis perennis para tratar exaustão. Todos oferecem aos atletas uma alternativa natural aos medicamentos tradicionais e, por vezes prejudiciais.”
linford-christie
Linford Christie
Linford Christie Cicero
Linford Christie Cicero (nascido em 02 de abril de 1960) é um ex-velocista jamaicano- britânico. Ele é o único homem britânico a ter ganho medalhas de ouro nos 100 metros em todas as quatro principais competições abertas a atletas britânicos: os Jogos Olímpicos, os Campeonatos Mundiais, Campeonatos Europeus e os Jogos da Commonwealth. Ele foi o primeiro europeu a quebrar a 10-segunda barreira nos 100 m, e ainda detém o recorde britânico dela.
“Eu sou um fã de arnica e recomendo a todos os atletas no meu programa Streer Athletes, para ter em seu kit na mochila, para ajudar com entorses e distensões.” – Linford Christie, campeão da corrida dos 100 metros de Barcelona, de 1992.
Jim Rogers e Neil Ridsdale
Jim Rogers e Neil Ridsdale detém o recorde de tempo mais rápido na Wolds Way Yorkshire, corrida de 79 milhas de Filey para Hessle em um incrível tempo de 13 horas e 23 minutos.
Jim disse: “Várias pesquisas da homeopatia consideram os efeitos sobre lesões esportivas, como entorses de tornozelo, distensões musculares e dor muscular após o exercício, enquanto outros se detiveram sobre os tipos de problemas de saúde aos quais muitos atletas são propensas, inclusive infecções do trato respiratório superior, gripes, alergias e cólicas”.
annabel-croft-1
Annabel Croft – ex-jogadora de tênis britânica
Annabel Croft
Annabel Croft é ex-jogadora numero 1 do tênis feminino britânico profissional, e atual apresentadora de rádio e televisão.
“Eu uso a homeopatia para tratar de tudo, desde os primeiros sinais de tosses e resfriados a lesões desportivas, para mim e minha família. Abracei a homeopatia como um modo de vida, visito o meu homeopata a cada poucos meses e utilizo toda uma série de remédios. A homeopatia tem feito maravilhas para mim, pessoalmente, eu não posso negar sua eficácia. Como mãe de três adolescentes, eu criei meus filhos com homeopatia, uso os remédios sempre que têm um mal-estar, bem como para seu bem-estar. Meus filhos têm registrado que ensinaram médico da escola sobre os benefícios da homeopatia em oposição aos medicamentos tradicionais, como antibióticos”.
Annabel usou a homeopatia para tratar um cisto no ovário esquerdo em 2003.
“Eu cresci acreditando que as doenças estavam lá fora, esperando para nos pegar. Quando consultei com Hilery Dorrian (homeopata), fiquei surpresa ao ver as minhas ideias sobre saúde serem viradas de ponta cabeça. Ela explicou-me que a homeopatia trata as causas reais da doença no corpo, não apenas os sintomas – como a medicina convencional faz. Todo o conceito fez muito sentido para mim. Foi um enorme ponto de virada”.
“E em casa, todos nós confiamos na medicina homeopática. Quando eu ou um dos meus filhos (Amber, Charlie, 13, e Lily, 11) temos um resfriado, tomamos pulsatilla (uma flor nativa britânica). E eu sempre tenho à mão alguns outros como arnica para contusões, calêndula para cortes e arranhões, beladona (não venenosa a este nível de diluição) para uma cabeça latejante e nux vomica (um extrato de árvore que contém vestígios de estricnina), que tomamos depois de ocasional excesso alimentar. Ele tira a sensação de “uhhh” da manhã seguinte”.
Quando a família foi para a Tailândia para um casamento, Amber sofreu uma intoxicação alimentar grave. “Eu dei-lhe Arsenicum album, que trabalhou muito rapidamente. Ela passou do estado de alguém que iria vomitar durante toda a noite, para dançar na festa. ”
O marido de Annabel, Mel Coleman, ex-velejador de 46 anos e agora empresário, também é um convertido.
“Eu sou apaixonada pela homeopatia”, diz ela. “Eu canto louvores a ela em jantares, onde eu encontro o meu público que tem metade de céticos e metade cada vez mais curioso.”
E ela apoia a noção de que a homeopatia pode ser útil em Wimbledon. “Eu usei gelsemium no passado para me acalmar antes de competir em Wimbledon, mas é possível que ele também possa funcionar para Andy Murray. No entanto, os remédios homeopáticos são projetados para ajudar com sintomas específicos e Andy pode ser diferente do meu”.
Dr. Philippe Lageyre, médico desportivo, que acompanha as equipes de rugby.
Dr. Philippe Lageyre, diz que “No campo, com o menor trauma, eu prescrevo Arnica. Eu sempre tenho tubos e doses comigo. Durante a preparação do atletas, a homeopatia tem um lugar especial no tratamento do stress. Finalmente, é complementar relativamente a outros tratamentos nas lesões de tendões. Em nossa prática da medicina desportiva, temos de ser rapidamente eficazes. Mesmo sem ser um médico homeopata, a homeopatia é parte do meu arsenal terapêutico. Eu sei onde ela pode ser usada e como”.
Sonja Johnson
Membro da equipe australiana de equitação, medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, apoia o uso da homeopatia.
3 dias antes de ir para Hong Kong, ela consultou um homeopata para aconselhar sobre um abscesso no asco de seu cavalo, que não estava respondendo ao tratamento ortodoxo. Após o tratamento homeopático seu cavalo estava bem o suficiente para competir, e ganhou a medalha de prata para a equipe Aussie equestre.
Ela disse: “eu fui introduzida primeiramente às vantagens da homeopatia na vida e particularmente nos cavalos de desporto quando estava na Inglaterra, em 1997.
Todos nós queremos manter-nos e a nossos parceiros equinos, em tão boa forma quanto possível para realizar o trabalho.
Os medicamentos não homeopáticos têm o seu lugar; no entanto com o teste de drogas de atletas sendo tão rigoroso nos dias de hoje, qualquer coisa que possa dar-lhe um benefício terapêutico ao estar dentro das regras é um grande bônus.
Meu “kit de bruxa” (Kit homeopático Helios para acidentes e emergências), como nós carinhosamente chamamos na família, está sempre em uso e me proporciona grande diversão, quando eu vejo os céticos se tornarem crédulos, depois de se beneficiarem de seu uso”.
MAIS SUPERESTRELAS DO ESPORTE ENVOLVIDAS COM HOMEOPATIA
Arnie Kander, EUA, treinador de força e condicionamento, NBA Detroit Pistons.
Pat Riley, EUA, treinador de beisebol, Miami Heat.
Paul O’Neill, EUA, jogador da liga principal de beisebol que venceu cinco World Series ao jogar para o Cincinnati Reds.
Kelly Slater, EUA, campeão de surf e ASP World Tour Champion por 11 vezes.
Elvis Stojko, patinadora canadense e duas vezes medalhista de prata olímpica.
Hermann Maier, Áustria, esquiador medalhista de ouro olímpico.
Kate Schmidt, EUA, duas vezes medalhista olímpica de bronze dardo.
Misty Hyman, medalha de ouro dos EUA nos 200 metros borboleta nos Jogos Olímpicos de Verão de 2000.
Will Greenwood, Reino Unido, jogador de rugby.
Martina Navratilova, checa e norte-americana superestrela de tênis.
Boris Becker, superestrela de tênis alemão.
Marie-Hélène Prémont, cross-country mountain biker canadense.
Zaheer Khan, jogador de cricket indiano.
POR QUE ELES CONFIAM NA HOMEOPATIA?
Os medicamentos homeopáticos aceleram o processo de cicatrização e levam o atleta a voltar a treinar mais rapidamente.
Não há risco de doping: doping é o uso de drogas ilegais para aumentar o desempenho no campo. Como a medicina homeopática são soluções coloidais e contém nanopartículas, eles não aparecem em todos os procedimentos de testes de drogas (análises ao sangue).
Evidência de pesquisa de alta qualidade disponível em 39 estudos humanos estatisticamente significativos publicados em revistas médicas com revisão por pares são citados abaixo:
Aqui algumas pesquisas da eficácia da homeopatia em esportes e setores aliados.
DOR
Ruta Graveolens 30C for the treatment of pain in plantar fasciitis (foot) (2000) // n=14, non-individualised
Use of Arnica to relieve pain after carpal-tunnel release surgery (2002) // n=37, t= 2 weeks, 3 times per day, Oxford Quality score=5/5
Homeopathic Treatment of chronic low back pain (2009) // n=129, t=2 years, quality of life improved
Efficacy and safety of a homeopathic gel Spiroflor SRL in the treatment of acute low back pain(2001) FULL TEXT // SRL (Symphytum, RhusTox, Ledum Pal) is equally effective as Cremor Capsici Compositus FNA but has better safety profile, Double-blind Randomised Trial with n=21, high quality study
FIBROMIALGIA (dor e inflamação nos músculos)
Arnica, Bryonia & Rhus Tox for Fibromyalgia (1986) // n=24, significant improvement in pain (p<0 .05="" and="" jaded="" p="" score="3</p" sleep="">
Rhus Tox 6c thrice daily vs placebo for treatment of Fibromyalgia (1989) // FULL TEXT // fibromyalgia (earlier known as fibrositis) (Pain & Inflammation in muscles,n=30, non-individualised study, RT given thrice daily, significant fewer tender points compared to placebo (p<0 .005="" 11="" 4="" above="" and="" compared="" got="" group="" homeopathy="" improvement="" in="" jadad="" journal="" linde="" observed="" p="0.0052)," pain="" patients="" placebo="" quality="3</p" replicated="" rheumatology="" score="4," sleep="" study="" success="" therapeutic="" this="" to="" was="">
Improved Clinical Status in Fibromyalgia patients treated with homeopathic remedies Vs Placebo (2004) FULL TEXT // n=53, t=3 months, individualised 41 remedies in LM potency, significant fewer tender points compared to placebo, 25% improvement in tender point pain on palpation (p=0.008), improvement in Fibromyalgia score (P<0 .05="" affective="" and="" compared="" depression="" global="" health="" improvement="" in="" jaded="" life="" mcgill="" of="" p="" pain="" placebo="" quality="" rating="" score="5," sign="GOOD</p" significant="" to="">
FARINGITE (inflamação das membranas mucosas do nariz e da garganta)
Homeopathic & antibiotic treatment strategies in recurrent acute rhinopharyngitis (2005) // Inflammation of the mucous membranes of nose & throat.In 499 patients homeopathy yielded significantly better results than antibiotics in terms of effectiveness, number of complications and quality of life
OTITE MÉDIA (inflamação do ouvido médio)
Individualised Homeopathic treatment of otitis media (2001) // n= 75, 8 different remedies in C30 potency; 4 most commonly used (88%) were Pulsatilla nigrans, Chamomilla, sulphur, Calcarea carbonica; 3-5 pellets 3 times daily, significant decrease in symptoms at 24 and 64 hrs after treatment in favour of homeopathy (P<0 .05="" compared="" jadad="" or="1.84," placebo="" score="5</p" to="">
Homeopathy in acute otitis media (2001) FULL TEXT // n=230, t=12 hours, 72% of those using homeopathy had significant relief. Resolution rates were 2.4 times faster than in placebo controls. Compared to conventional treatment the homeopathic approach was 14% cheaper
Homoeopathic treatment of otitis media (1997) FULL TEXT // n=131, duration of pain of 2 days in homeopathy-group & 3 days in conventional group. 70.7 % & 56.5% of children receiving homeopathy & conventional respectively did not have another ear infection the next year
EQUIMOSE
Effect of Homeopathic Arnica Montana on Bruising in Face Lifts (2006) FULL TEXT // n=129, Arnica every 8 hours for 4 days post-operation, significant difference in favor of homeopathy on day 1 (p<0 .005="" 7="" and="" day="" level="1-</p" p="" sign="">
FADIGA
Efficacy of homeopathic treatment for chronic fatigue syndrome (2004) FULL TEXT // Triple-Blind Study, n=93, t=6 months, homeopathy significantly improved function and fatigue compared to placebo, p=0.04 Weak but equivocal evidence that the effects of homeopathic medicine are superior to placebo, OR=1,47, Jadad score=5
DOR MUSCULAR
Effect of Arnica 30X on muscle soreness in marathon runners (2003) // muscle soreness immediately after a marathon run was lower in the Arnica treated group than in those treated with placebo (p=0.04)
Effects of the Arnica 30X on 1995 Oslo marathon runners (1998) FULL TEXT // n=71, reduces muscle soreness immediately after the marathon (p=0.017). Severity score after running was 6.27±1.85 in homeop. patients and 7.28±2.48 in placebo patients, Sign level=1+, Arnica 30x 5 pills twice a day for 3 days
CÃIBRAS MUSCULARES
A trial comparing two homeopathic drugs against placebo for muscular cramps found the homeopathic preparations to be therapeutically superior.  Allgemeine Homeopathische Zeitung 1976; 221: 26-31
TENDINITE DE AQUILES
TENDINITES
Traumeel S ointment for tendon injuries (2005) // traumeel superior to diclofenac gel
LESÕES MUSCULO-ESQUELÉTICAS
RESFRIADO COMUM
INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS
SINUSITE
Euphorbium Compositum nasal spray for sinusitis (1995) FULL TEXT // n=155, Subjective responses showed a greater improvement in those using homeopathic combination remedy
RINITE ALÉRGICA
Grass Pollens in 30c potency vs placebo for hay fever(1986) // n=144, p=0.018 in favour of homeopathy
Treatment of pollinosis with the homeopathic preparation Galphimia Glauca2c and placebo (1990)   // n=243, average t=33 days, odds ratio=2.19 in favour of homeopathy
Meta-analysis of homeopathic treatment of pollinosis with Galphimia glauca(1997) // The odds ratios of all of the four individual studies favoured homeopathy, and in two of the four studies the result was statistically significant. After the results were pooled, the odds ratio of 1.87 suggested that Galphimia glauca is significantly more effective than placebo
Comparing Luffa compositum-Heel nasal spray with cromolyn sodium spray in the treatment of allergic rhinitis(1999) FULL TEXT // Double-blind Randomised trial with n=146, combination remedy Homeopathic Nasal Spray containing Luffa, Galphimia, Histamine and Sulphur is as efficient and well tolerable as conventional therapy as Cromolyn Sodium
Potentised Allergan 30c Vs Placebo in allergic rhinitis(2000) FULL TEXT // n=51,significant improvement in nasal airflow compared to placebo, Jaded score=5
Treatment of allergic rhinitis with potentised allergenand placebo(2005)// n=34, t=4 weeks, Jaded score=5, potency=30c
Usefulness of 13 homeopathic medicines in the management of acute rhinitis(2010) FULLTEXT // Nux-Vomica, Merc, Belladonna, pre- and post-score assessment as per acute rhinitis symptom score developed by CCRH showed statistically significant improvement (p<0 .05="" p="">
Galphimia glauca 4X in treatment of pollinosis (1995) FULL TEXT // n=164 change the link to
AMIGDALITE
Tonsilotrena for tonsillitis  (2006) FULL TEXT
Arnica montana 30C for post-tonsillectomy analgesia (2007) // pain after tonsils removal
RECUPERAÇÃO DE ESFORÇO
Arnica e China
O CONSUMO DE OXIGÊNIO
China e Natrum muriaticum
RESPOSTA REFORÇO NEURAL 
Arsenicum album, Vanadium, Ferrum mettallicum
A evidência de benefícios de medicamentos homeopáticos como um medicamento líder nos esportes está bem estabelecida em todo o mundo. O pico de desempenho deve ser considerado no estilo de vida de todos, não apenas em esportistas.
O que você está esperando?
Referências:

31 de jan de 2017

Embrapa usa homeopatia para evitar mortes de bezerros por diarreia

Embrapa usa homeopatia para evitar mortes de bezerros por diarreia

Pesquisa desenvolvida em São Carlos, SP, conseguiu bons resultados.
Produto natural deve diminuir custos com antibióticos dos animais.

Do G1 São Carlos e Araraquara
Utilizando substâncias homeopáticas, pesquisadores da Embrapa Pecuária Sudeste, em São Carlos (SP), conseguiram bons resultados para diminuir uma das principais causas de morte entre bezerros: a diarreia. O produto natural deve diminuir custos com antibióticos.

Foram seis meses de estudo. A ideia era testar uma forma de evitar a diarreia, comum entre esses animais. “Das mortes que ocorrem dentro do sistema com bezerros até 60 dias, de 20% a 50% é por conta de diarreia. Então é um problema sério que deve ser evitado”, explicou a veterinária da Embrapa Teresa Cristina Alves.
Pesquisadores usam homeopatia misturada ao leite (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)Pesquisadores usam homeopatia misturada ao
leite das vacas (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
A substância em pó foi misturada ao leite da vaca. Ao todo, 37 bezerros participaram dos testes, em três grupos. No primeiro, os animais receberam apenas leite comum.
No segundo, os filhotes foram amamentados com a fórmula homeopática. No terceiro grupo, os pesquisadores deram leite misturado com um tipo de minério. Os resultados mostraram que a homeopatia ajudou.
“A gente teve cerca de 25% dos animais que não apresentaram diarreia. Em todos os outros grupos todos os animais tiveram pelo menos um episódio de diarreia dentro do período do experimento”, contou a veterinária.
Substância saudável
O produto homeopático é feito à base de substancias encontradas em folhas, sementes e em casca de árvores. Segundo os pesquisadores, o leite especial dispensa o uso de antibióticos e essa é a principal vantagem porque os medicamentos tradicionais podem trazer muitos riscos.
Substância pode diminuir custos com antibióticos (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)Substância mais saudável pode diminuir custos
com antibióticos (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
“Quando a gente usa muitos antibióticos nessa fase de bezerros e precisa utilizar de novo, a bactéria já ficou resistente à droga. No caso das vacas que estão produzindo leite, existe o risco de resíduos nesse subproduto desses animais. Pode ser um problema de saúde pública, compromete a qualidade do alimento e também a saúde dos animais”, disse a bióloga Ana Carolina de Souza Chagas.
Economia
Outra vantagem é o custo em relação aos antibióticos. Os pesquisadores economizaram R$ 10 por bezerro usando a fórmula homeopática. “Seria um caminho bastante interessante a ser seguido porque garante a qualidade do alimento e também a saúde dos animais”, disse a bióloga.
A próxima fase da pesquisa vai testar o produto no combate a carrapatos na infecção das mamas.

6 de jan de 2017

Efeito Placebo na Medicina Alopática e Homeopática – Opinião Folha de São Paulo

Efeito Placebo na Medicina Alopática e Homeopática – Opinião
Folha de São Paulo
opinião: Marcus Zulian Teixeira: O efeito placebo na medicina
alopática e homeopática 11/06/2015 Opinião Folha de S.Paulo
http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2015/06/1640480marcuszulianteixeiraoefeitoplacebonamedicinaalopaticaehomeopatica.
PUBLICIDADE
OPINIÃO
Marcus Zulian Teixeira: O efeito placebo na medicina alopática e
homeopática
11/06/2015 02h00

Na matéria A cura pela expectativa: o efeito placebo e a pseudomedicina (Ilustríssima, 17/05/15), Hélio Schwartsman utilizou conhecimento irrisório sobre o “efeito placebo” para criticar a homeopatia e a acupuntura, especialidades médicas reconhecidas pela Associação Médica Brasileira, ensinadas nas faculdades de medicina, disponibilizadas no SUS e com dezenas de milhares de médicos praticantes no Brasil.
Por ter estudado este tema na minha tese de doutorado
(continuando o estudo no meu pós-doutorado), gostaria de esclarecer alguns pontos enviesados de sua análise e sugerir leitura científica imparcial sobre o assunto.
No texto, ele relaciona os “efeitos específicos” destas
terapêuticas, exclusivamente, aos “efeitos não específicos” da sugestão (efeito placebo), desprezando os inúmeros estudos científicos favoráveis a estes métodos de tratamento e valorizando, apenas, os estudos desfavoráveis, muitos deles enviesados (como é o caso da metanálise contrária à homeopatia publicada no The Lancet em 2005).

Em seu discurso pseudocientífico e contraditório, critica de forma explícita e parcial apenas a homeopatia e a acupuntura, apesar de concluir que o efeito placebo ocorre igualmente com os tratamentos convencionais, pois os “laboratórios conseguem produzir estudos que pintam um quadro muito mais favorável a suas drogas do que deveriam”, evidenciando o enorme conflito de interesses que existe na pesquisa científica da “verdadeira” medicina.
Aos interessados nas “evidências científicas” que respaldam o
modelo homeopático (princípio da similitude e uso de doses ultradiluídas), assim como as limitações no emprego desta terapêutica, sugiro acessarem o site http://www.homeozulian.med.br.

Em editorial posterior (Os ricos também choram, 20/05/15), buscando justificar a comprovada eficácia da homeopatia e da acupuntura em animais e bebês (não sujeitos ao efeito placebo), afirma que ela ocorre porque “a maioria dos pacientes (ou seus tutores) tende a procurar tratamento quando o processo patogênico está no auge ou próximo dele” e que “a menos que a moléstia seja fatal e a maioria não o é o mais provável estatisticamente é que os sintomas regridam”.
Nessa colocação, o “filósofo” demonstra total desconhecimento em
“medicina” e na evolução natural da maioria das doenças crônicas não fatais (totalidade das enfermidades modernas e principal campo de ação da homeopatia e da acupuntura), as quais só tendem a piorar o seu curso e os seus sintomas com o passar dos anos, além de terem seu estado agravado pelos eventos adversos das drogas convencionais em uso contínuo e prolongado.
Como os leitores poderão constatar em literatura científica, o
“efeito placebo” é observado em qualquer terapêutica, com seus mecanismos psiconeurofisiológicos estudados e descritos. Em todo tratamento, os efeitos terapêuticos relacionam-se a dois tipos de fatores: ‘específicos’ (dose, duração, via de administração, farmacodinâmica, farmacocinética, etc.) e ‘não específicos’ (evolução da doença, aspectos socioambientais, variabilidade inter e intraindividual, expectativa de melhora no tratamento, relação médico-paciente, características da intervenção, etc.).
O fenômeno placebo faz parte destes últimos, estando na
“expectativa consciente” por melhoras o principal mecanismo indutor, que pode ser incrementado pelo “condicionamento inconsciente”, adquirido em experiências pregressas positivas, e pela “relação médico-paciente”.
Com a introdução dos ensaios clínicos placebos-controlados,
padrão-ouro para avaliar a eficácia das terapêuticas, relatos frequentes de melhoras clínicas significativas nos grupos controle demonstram que a intervenção placebo pode causar efeitos consideráveis em inúmeras doenças.
Revisões sistemáticas de ensaios clínicos placebos-controlados
com tratamentos “convencionais” evidenciam esta resposta placebo (% de melhora): doença de Crohn (19%), síndrome da fadiga crônica (20%), síndrome do intestino irritável (40%), colite ulcerativa (27%), depressão maior (30%), mania (31%), enxaqueca (21%), dentre outras.
De forma análoga, revisões sistemáticas de ensaios clínicos
placebos-controlados que compararam a magnitude do efeito placebo entre os tratamentos convencional e homeopático, nas mesmas doenças, constataram efeitos semelhantes em ambas terapêuticas (20-30% de melhora). Assim como nos tratamentos convencionais, essa pequena melhora inicial não explica a eficácia da homeopatia e da acupuntura nas doenças crônicas renitentes, comumente observada em pacientes que as buscam como alternativas após décadas de insucesso com as terapêuticas convencionais.
Concluindo, o efeito placebo é observado em qualquer intervenção
terapêutica, em vista da importante natureza psicogênica da maioria das doenças, não podendo ser utilizado, exclusivamente, de forma pejorativa na crítica aos tratamentos “não convencionais”.
Como descrevemos no título do artigo anteriomente citado, o
fenômeno placebo é uma “evidência científica que valoriza a humanização da relação médico-paciente”, aspecto que deveria ser resgatado pela medicina cientificista moderna.
MARCUS ZULIAN TEIXEIRA, 57, médico e pesquisador homeopata,
pós-doutorando da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)